sábado, 29 de abril de 2017

Uma família de amor

Uma família não é apenas um grupo de pessoas ligadas por consanguinidade, mas pessoas conectadas por laços de amor. Esse é o mote da história que começarei a contar.
Um pai possuía muitos filhos, e cada um deles, como haveria de ser, tinha uma personalidade diferente. Uns eram amorosos com o olhar, outros intempestivos, uns tantos intransigentes, mas todos eram dotados de um coração enorme. O pai dispensava-lhes um amor incomensurável e era devotado a cada um, procurando entender suas personalidades distintas, e, assim, não julgá-los, em suas diferenças.
Entretanto, os filhos nem sempre entendem aquilo que os pais dizem. Muitos querem seguir suas vidas de maneira libertária e agir conforme sua vontade, colocando uma viseira que os impede de entender o seu redor, apenas visualizando aquilo que está à frente. Com aquela família não seria diferente, cada um queria agir de uma maneira, e suas diferenças, que antes tanto os completava, começaram a ser um problema de convívio. Os amorosos achavam-se penalizados por não ter a mesma atenção do pai tanto quanto os intempestivos tinham, já os intransigentes diziam que o pai reclamava tanto com eles, que parecia que não faziam coisas boas.
As brigas entre eles começaram a ser constantes e o pai teve que intervir. Tirou-lhes aquilo que eles mais gostavam e com dor no coração começou a agir de maneira austera. Não, não era isso que ele queria para os seus filhos, mas o ouro é provado no fogo e o aprendizado por vezes acontece na dor. Com amor, convocou-os e disse: Meus filhos, suas diferenças eram, sobretudo, o que ajudava cada um de vocês a crescer. Lembro-me quando vocês eram pequenos e se ajudavam mutuamente a realizar pequenas coisas. Os mais ágeis ajudavam os mais lentos e estes auxiliavam os mais agitados a terem paciência. Vocês são diferentes e essa é a grande virtude de nossa família. Se fossem iguais seria muito chato ser pai de vocês, mas essa distinção é justamente a mola que me faz ser uma pessoa melhor a cada dia. Meu coração se entristece quando há cisões no relacionamento tão bom que criamos até aqui. Não amo vocês diferente, amo igualmente em cada diferença que vocês possuem. Sejam pessoas melhores uns com os outros para que o mundo que vivem consiga ser um ambiente melhor para repousarem seus problemas.
Silêncio. Os filhos não entendiam o castigo, mas compreendiam amor. O amor é a mola mestra do mundo. O mundo esqueceu o amor, as pessoas esqueceram como amar. O pai era amor, ainda que seus filhos, por vezes, não entendessem isso. Amar não é fazer tudo o que alguém quer ou falar coisas que a pessoa quer ouvir, mas dizer justamente o que ela nunca ousaria desconfiar que saísse de sua boca. Amar alguém não é apenas abnegação e concessões, mas dizer não sempre que necessário.
Só nos importamos com que amamos, pensava o pai silencioso, quem não quer receber amor, de maneira triste, deixamos pra lá. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário