sexta-feira, 15 de julho de 2016

Saindo de si...

Ao olhar determinadas fotos antigas a gente se depara o quanto a gente mudou e o quanto as coisas também se modificaram ao nosso redor. Os amigos de outrora são apenas meros conhecidos de uma época remota. O nosso gosto mudou, as nossas influências também. O menino calado que tirava foto sério deu lugar a um homem que adora mostrar o sorriso, mesmo em momentos difíceis. A mudança é um fator biológico que nos move, mesmo que a gente não perceba isso com clareza. Mudar é preciso. Mudar-se de si é necessário. 

Decisão

Disseram-me ainda muito pequeno que a vida é feita de decisões e elas qualificam aquilo que você é ou vai vir tornar a ser. De qualquer forma eu não estaria isento delas. Uma hora teria que decidir o que comer ou vestir, qual profissão seguir, o que deveria fazer ou deixar de fazer. Decisão. Três sílabas, sete palavras e uma confusão em minha mente. Colocar linhas de chegada, uma após outra ou me lançar nos braços do vazio? Na primeira tenho a opção de me encarcerar dentro de mim, já na segunda de me aventurar rumo ao desconhecido. Jogar a precaução de lado e subir o montanha para ver o sol se pôr ou deixar de ver este espetáculo natural? Eis a questão. 

Despedidas

Vai chegar o dia em que saudade não estará mais em meu dicionário. Em que os “adeus” nos aeroportos e rodoviárias serão substituídos por um até logo e uma certeza de retorno.