domingo, 30 de setembro de 2012

Procura



Você vivia tão só e triste, ali brincando por entre as flores plantadas perto de sua casa e eu aqui morando entre as estrelas lhe via assim e me entristecia também. Eu queria estar contigo, você precisava de alguém ao seu lado e eu sabia que eu seria sua melhor companhia, então resolvi descer daqui naquela manhã quente de verão. Infelizmente a vida não é tão fácil aqui embaixo como pensei, procuro por você como alguém que procura uma moeda na areia da praia, mas tenho certeza que serei feliz quando te encontrar. 

sábado, 22 de setembro de 2012

Eu sou livre?



Ser livre em expressar o que pensa e manifestar suas opiniões e pensamentos constitui-se um conceito basilar das sociedades democráticas modernas e um princípio da Constituição brasileira vigente (Art. 5, IV). Desse modo, a censura dentro da nova dinâmica social, consiste em um atraso, um retrocesso daqueles que vêem o mundo e a sociedade por um viés anacrônico, olhando pra o passado achando que ele se pode fazer valer dentro das novas realidades do presente. Todos nós temos direito de expressar o que queremos e o que sentimos. Não devemos ter medo de ser criticados em nossas escolhas. Cada ser humano é um universo e cada um sabe de si. Querer que o nosso pensamento e a nossa vontade se assemelhe com a do outro, em gênero e grau, é também um atentado à dignidade humana e ao direito de liberdade que conquistado, mas acima de tudo é um ato de censura. Sejamos nós mesmos e que os outros que não entendem que se resguardem ao direito de respeitar as decisões alheias.

Dom



Um sorriso franco, sincero, com duas covinhas do lado de cada bochecha quando se é aberto para o mundo. Um coração gigante desses que a caixa torácica não suporta, cheio de coisas boas para dar, vender, emprestar e ainda caber em si e não esgotar. Um jeito cativante de ser, de sonhar, de falar, de se enraivecer. Alguém que só de olhar dá vontade de cuidar pra vida inteira.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Platônico


Te ver passar do outro lado da rua faz meu coração saltar como se estivesse participando de uma competição de salto à distância. Perco o chão, não encontro as palavras certas pra dizer quando olha pra mim e, sem saber dos meus sentimentos escondidos, me cumprimenta com apenas um “oi” e me faz ser obrigado à apenas dizer a mesma coisa. Não achava ser possível um amor platônico, se é que se pode chamar assim, mas é. Quantas foram as vezes que fechei os olhos e imaginei um futuro contigo? Inúmeras. Uma ligação tua no meio da noite, um passeio numa tarde de sexta, uma praia no sábado, um filme no domingo e mais uma semana inteira de mimos e carinho. Como pode ser, gostar de alguém e esse tal alguém não ser seu? - já dizia Vanessa da Mata em sua música. Como pode ser? Ainda não encontrei uma resposta racional para isso. 

domingo, 16 de setembro de 2012

Imagine

‎           
           Imagine se o sol nascesse só pra os corretos. Que Deus só olhasse pros que oram, para os justos ou para aqueles que obedecem a determinadas leis. Pense por um momento como seria a vida se não existisse o erro, a dúvida e todos tivessem certeza daquilo que fazem e do que dizem.
 Imagine se todos respondessem de maneira igual às questões e situações propostas no cotidiano, tomassem a mesma direção como àqueles que seguem um manual de condutas...
Imagine... só imagine... Porque é só no mundo da imaginação que essas coisas existem.

Procura-se alguém



E de repente você começa a achar a sua vida de solteiro mais sem graça que picolé de chuchu e percebe que o trecho da música de Jobim que diz que é impossível ser feliz sozinho é uma constatação da realidade. Amigos não substituem um amor, por mais pura e linda que seja a amizade.
Procura-se um amor que ria de suas piadas, mesmo aquelas mais batidas e sem graça. Alguém que te ligue às 02:00 quando você já dorme e liga às 06:00 só pra ouvir sua voz ao acordar. Procura-se um alguém pra ficar assistindo uma comédia pastelão na TV num domingo chuvoso, alguém que pregue um susto e te acalme com um beijo.
Procura-se alguém que não elenque os seus defeitos aparentes, mas o ajude a minimizá-los. Que te entenda, que te atenda, que não seja perfeito, mas que te ame do jeito que és, torto, bobo, chato. Procura-se alguém...

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Como pode ser?


Eu achava que realmente o tempo curava feridas, fazia-nos esquecer, nos colocava em um estado de memória seletiva em que só o que importa é lembrado ou amnésia temporária, mas não tenho mais tanta certeza disso. Bastou um olhar, pra que tudo pudesse ser trazido de novo à superfície. Lembranças ainda latentes e que eu achava estarem perdidas em um canto qualquer do meu quarto. Conclusão: não se desconstrói um sentimento tão fácil, principalmente se esse tocou a alma, se te fez conhecer o paraíso sem ao menos ter passado pro outro lado, se te fez sentir-se especial diante de tanta gente sem graça. Fácil é ter apenas lembranças, difícil é olhar nos olhos do outro frente a frente e ter uma ponta de certeza que seja de que aquilo não é mais seu. 

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Tempo, tempo, tempo, tempo


Hoje já pego na caneta e escrevo coisas que não são mais remorsos do nosso fim e nem saudades de você. Os nós se desfizeram tão facilmente assim que fico surpreso a ponto de pensar em talvez estabelecer outro elo contigo, de amizade talvez, uma vez que já éramos amigos antes mesmo sermos um do outro. Consigo escutar aquelas músicas que roubamos de seus autores dizendo que eram nossas, passar a mão nos presentes, olhar o álbum de fotografia ganhado de aniversário, hoje sinto o perfume que você usava sem ter de imediato sua imagem na cabeça, hoje tudo voltou a ser eu. Nada que o tempo não se encarregue em mudar. É vida que segue. 

domingo, 9 de setembro de 2012

Distantes



— Oi. Como você está?
— Indo…
— Tenho percebido mesmo.
— O que?
— Que você tem ido. Cada vez mais longe de mim…”


(João Pedro Bueno in Sabedorias)

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

O que você pediria?



Era o fim. Toda a humanidade acabaria. Os jornais davam conta de anunciar que extinção da espécie humana e todo o seu legado se findariam dentro de alguns dias. Programas na TV só falavam sobre o assunto. Qual seu último desejo se o mundo acabasse amanhã? – perguntava a famosa repórter ao público. Respostas das mais variadas. Um casal de namorados disse que se o mundo fosse acabar mesmo que pelo menos que pudessem morrer juntos, já uma senhora de idade disse que queria ter tempo pra ver os netinhos crescerem.  As respostas variavam, cada um pedindo o que era de seu interesse próprio.
Mas a resposta de um menino de 6 anos surpreendeu a todos. Ele poderia pedir coisas pra si, como ter a coleção do brinquedo que sempre sonhou, ou ter a família reunida pela última vez, contudo falou apenas à repórter: - Tia, se o mundo acabasse amanhã eu pediria que ele não acabasse. A repórter sorriu e tornou a dizer: - Mas o mundo já vai acabar, o que você quer pedir antes disso? Ele voltou a dizer: - Que ele não acabe! Por que senão todo mundo que pede coisa boa não terá como alcançar em pouco tempo, só terão um dia, né?
No outro dia as estações espaciais falaram sobre um erro de cálculo quanto a passagem do asteróide que colidiria com a Terra e poria um fim na humanidade. Ninguém deu muita importância ao fato, afinal outros apocalipses já haviam sido anunciados e não aconteceram. Mas não teria sido o pedido do menino atendido?
Não basta pedir. Tem que saber como e o que pedir. 

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Palavras da Estrada II



Rostos estáticos sorriem para mim através da janela. Pessoas pobres parecem-me mais ricas de alegria do que meus ricos amigos pobres de amor. Rostos paralisados pela velocidade que me movo contam-me mil histórias de luta pela vida em apenas um segundo. Uma senhora vagueando encostada ao seu casebre fumando cachimbo (cachimbo, acredita?), em toda sua simplicidade, parece saber mais da vida que os doutores.
O rio barroso segue seu curso e se encontra com o céu pacificamente lá na linha do horizonte e, assim, distantes, começam uma transa louca. O sagrado já é mais vil que o profano e todo milagre, por mais que seja humano, é aplaudido em tons róseos e dourados pelo pôr-do-sol.
É triste a vida de quem não viaja, mesmo que lendo um livro sentado numa cadeira, de quem não cruza um novo horizonte, de quem não cruza uma nova fronteira todos os dias. É infeliz a vida de quem não passeia, mesmo que seja na praia, sentado numa rede, o coração morre de fome e a alma de sede; não evoluímos e nos tornamos apenas seres anônimos dentro do trem parado da nossa própria vida.

Valber Santos

domingo, 2 de setembro de 2012

Ainda não passou


O tempo voa, as coisas mudam, e ainda ontem éramos amantes apaixonados traçando planos de um futuro feliz juntos, hoje não mais. Ainda não passou, ainda não saiu de mim a sua voz dos meus ouvidos, mesmo que ela tenha hoje se tornado apenas uma lembrança, um som do qual tento me lembrar, como as músicas boas que tenho descobrir qual o nome quando as ouço no rádio. Lembranças boas, fotografias gravadas em minha memória de um tempo bom, que talvez pra você já se foi, mas que pra mim ainda não passou.


“Se diferente eu fosse será que eu teria sido amado por você?” (Nando Reis - Ainda não passou)