quinta-feira, 26 de julho de 2012

O Cupido acertou dessa vez...



Descobri que estou doente, emocionalmente doente. Uma série de síndromes e doenças tem me acometido, confesso que é a doença que chama paixão. Sinto que ao me reapaixonar experimentei uma dose homeopática, mas forte, de Mal de Alzheimer porque esqueci todas as agruras e agoros que foram meus relacionamentos anteriores. Simplesmente acordei e tinha esquecido que poderia me machucar novamente. E não para por aí. Quando vejo aquele olhar apaixonado me admirando nos meus piores momentos de beleza, tremo na base mais que uma pessoa em estágio 4 de Parkinson. Meu coração acelera do nada, meu semblante modifica, minhas mãos suam, meu corpo arrepia.
O Cupido resolveu fazer seu trabalho direitinho agora, é o que parece, mas me deixou doente. Só que desse mal eu não quero nem vacina e nem cura, quero continuar convalescente de paixão. 

Júlia Siqueira

Amor de adolescente



Sentada à minha frente, ela tem olhos atentos no livro que traz em sua mão e de vez em quando, disfarçadamente, pousa os seus olhos em mim por cima do óculos dourado de aros pequenos. Sorrio disfarçadamente e sou retribuído com o sorriso mais lindo desse mundo. Aproximo? Não! Prefiro esse jogo de olhares, sorrisos e paquera de adolescente. É tão divertido.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Economizando ações



Respiro, repenso, reajo. As ações posteriores a esses três R são de minha inteira responsabilidade. Respirei qual ar, o poluído cheio de ideias absurdas ou um límpido com opiniões que me faça andar pra um lugar melhor? Repenso uma, duas, trinta vezes, mas pensamento não é matéria, não é ação, então reajo, saindo da minha zona de conforto psíquica e transformando em atitude física, palpável. Foi assim que tudo aconteceu, pelo menos tecnicamente. Na realidade comum foi assim. Você me traiu, e, enquanto confirmava o que já sabia, engoli a seco cada uma de suas palavras. Doeu, então respirei enchendo o meu pulmão de ar, de força, de vida. Pensei e repensei achando que era o culpado pelo que aconteceu, mas não era afinal, então reagi. Todo o nojo de haver me relacionado um dia com você estava naquela ação. É só isso? – disse. Você assentiu e então me virando saí pela porta aberta. Às vezes uma dose de desprezo economiza uma garrafa inteira de socos na cara. 

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Ainda é amor



Eu ainda tenho seu número na minha agenda e durmo com o celular do meu lado à espera que ele toque, seja você e eu possa ouvir pelo menos um “oi, tudo bem com você?”. Ainda tenho guardado aquele presente inesperado de uma noite fria de agosto. Estava dormindo e fui surpreendido com o seu sorriso e um pacote em suas mãos que continha uma foto nossa, foto essa que não sai da minha cabeceira. É loucura? Não! Ainda é amor. Meu coração ainda palpita, dança contigo como um tango de Gardel. Te amo, digo todas as noites antes de dormir, quem sabe meu anjo de guarda leva esse amor todo até você. 

domingo, 15 de julho de 2012

Perfeito?



Somos todos lineares em nossas ações? Não. Temos atitudes coerentes a todo tempo. Muito menos. Então, por que são exigidas de mim atitudes que ninguém consegue atingir. Sou super herói? Sou perfeito? Isso é o que aparento aos seus olhos? Pois então que essa sua visão de mim continue presa em sua retina, uma vez que certas ilusões são mais prazerosas do que a realidade. A mim me basta ser eu. 

terça-feira, 10 de julho de 2012

Envelhecer



Os olhos não mais se apetecem com o que um dia nos fazia muito feliz. A disposição por certas coisas se esvai até um dia se tornar apenas lembrança ou uma fotografia presa em um álbum. As coisas mudam, as pessoas também e nós acompanhamos o processo. Certos ações e papéis são invertidos. Ontem éramos filhos, hoje podemos ser pais, ou não, embora tudo dependa do que os dias no calendário fez com você. E a gente vai se transformando. É inevitável, é a vida. Envelhece-se o corpo, mas a alma, esta deixa velha quem quer. 

Dias felizes



Minha vizinha tem o hábito de cultivar plantas na frente de sua casa. Todos os dias ela se levanta bem cedo, antes até do galo acordar, e se põe a arrumar o seu jardim pessoal. Esses dias intrigado por ela fazer um trabalho que julgo ser de responsabilidade dos governantes da cidade chego até ela e pergunto o porquê de gastar o seu tempo naquela tarefa árdua e diária.  Eis a resposta: - Você acha que eu gostaria de levantar, abrir minha janela e olhar pra um monte de cascalho na rua? Cada um escolhe o que quer ver no seu dia-a-dia pra te impulsionar para uma vida mais feliz. Eu podia fazer um jardim no meu quintal, ter as coisas só pra mim, mas senti uma pontinha de inveja de Deus e quis ser sua colaboradora. Ele não quis o Universo só pra ele, por isso nos criou. Eu não quero um jardim só pra mim, quero um jardim pra todos, pra que outras pessoas comecem seus dias mais felizes com a cor das flores que cultivo. – pronunciou ela.
No outro dia, antes do galo cantar e da minha vizinha acordar, estava lá eu, abaixado entre as plantas ajudando a tentar fazer o dia de tanta gente sofrida um pouco mais alegre.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Sorria

 
Sorria
mesmo que sua vida esteja um saco de esterco
O cerco não se fechará
A tristeza não vencerá
E sua vida entrará de novo no eixo

Acredite
Faça uma prece pra Deus
Ele nunca esquece os seus
Mesmo você que extrapola limites

Preocupe-se menos
Conserve seu coração ameno
No final tudo vira graça
A vida é uma palhaça
Não a leve tão a sério
Sorria novamente
Viver já é grande eterno mistério
Tenha sempre isso em mente