quinta-feira, 31 de maio de 2012

Colorindo amizades



Virei pintor! Fiz um curso intensivo de pintura e aprendi uma coisa importante, se os amores não estão dando certo porque não colorir algumas amizades? Antes uma amizade colorida coberta com cores fortes e neon, no melhor estilo Restart, do que um amor monocromático e sem graça, não é verdade? Então, tinta nelas.

terça-feira, 29 de maio de 2012

O atirador de facas



- Respeitável público, o show vai começar! Hoje teremos o maior show de todo o mundo! Cenas fortes! Fortíssimas! Por isso peço que os pais tapem os olhos de suas crianças! O que vocês verão hoje mudará as suas vidas!
No mesmo instante, a um sinal quase que imperceptível, entra uma mulher vestida num maiô vermelho no picadeiro e se posiciona recostada em uma tábua grande. Logo em seguida um homem trajando preto trazendo consigo diversas facas. Era o clássico dos circos, mas o que isso mudaria nossas vidas? – pensei.
Meu pai tapou os meus olhos com as suas mãos, mas de tanto me mexer e talvez na vontade incessante que ele estava em vez o número, deixou brechas entre seus dedos no que pude ver quase tudo o que acontecia. O homem começou a jogar as facas, uma a uma, nenhuma acertava a moça, quando a última vai em direção ao seu peito. Foram os milésimos de segundos mais angustiantes de minha vida, confesso. Ao chegar próximo ao seu peito, como mágica, a faca transformou-se em uma linda flor. A plateia levantou e pôs-se a bater palmas sem parar. Mas o que isso mudava em nossas vidas? Eu continuava o mesmo de sempre.
Passou os anos e certo dia voltei a mesma cena. No lugar da mulher estava eu, peito aberto as facas lançadas ao vento, porém nenhuma me atingia. Foram palavras não ditas e que sempre sonhara ouvir que rasgaram a minha carne, fazendo fenecer naquela tábua. Mas não morri por muito tempo. A faca cicatrizou em meu peito transformando-se em flor e me chamando a vida novamente. Isso muda as nossas vidas, respeitável público.

domingo, 27 de maio de 2012

A vida é simples!


A alegria de viver está nas pequenas coisas, isso nós sabemos, só não colocamos em prática. Talvez porque praticando os pequenos gestos como ser amado, ser sorridente e ser forte, o retorno que esperamos não venha como queremos. Acostumamos-nos a querer o que está além de nossas possibilidades, isso é fato. Queremos tudo o mais grandioso possível, mas não fazemos o mínimo para o pequeno rotineiro se tornar grande com o tempo.
 A vida, esta da qual a gente se lamuria diariamente, no entanto, continua extremamente simples. Não vem disfarçada em embrulhos bonitos, ela vem desnuda, assim como cada um de nós vimos a esse mundo nus e destituídos de qualquer ideia preconcebida. Nós, entretanto, nos tornamos absurdamente complexos e queremos transpor a nossa complexidade para a vida, como se quiséssemos achar um culpado para os nossos infortúnios. A vida, porém, continua ali, contraditoriamente simples e grandiosa. 

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Meu sofrimento é não ter armas!


A internet foi inventada para honra do tinhoso que insiste em querer destruir qualquer ser humano que sente, pulsa e vive. Por obra da falta do que fazer resolvi fuçar a página social de um determinado finado, que por meses a fio, por insanidade ou coisa parecida chamei de meu namorado. Hoje não é mais nada meu. Eu pelo menos achava que não era. Além de adicionar uma lista interminável de garotas (que poderiam bem ser de programa pela quantidade de fotos no espelho de biquíni), algumas até da época em que estávamos juntos (devem ser aquelas que Filipe disse nesse blog que ficam em stand-by), ele resolveu agora sair, frequentar lugares que nunca ia comigo e que me deixava ir com minhas amigas porque confiava em mim e em minha fidelidade. Depois disso começo a desconfiar da fidelidade dele.
Dá raiva, se tivesse porte de armas amanhã ele acordaria e entraria no FACEBOOK dele e veria uma série interminável de pessoas em LUTO, e na capa dos principais jornais da cidade a manchete dizendo: “Júlia desabafa: MATEI PORQUE AINDA AMO AQUELE CANALHA!”

Júlia Siqueira

Você é Jesus?


Uma senhora cega vendia maçãs na frente do aeroporto. Todos os dias ela armava a sua banca no início do dia e a tirava no final da tarde. Não tinha lucros exorbitantes, mas ganhava o suficiente para sustentar sua família.
Certo dia, um grupo de executivos corria para não perder o voo que os levaria a uma reunião importante, quando esbarram na banquinha da velha senhora derrubando todas as maçãs no chão, fazendo-a perder muitas de suas maçãs. O grupo sem se importar com a preocupação da mulher cega, que tateava no chão em busca de alguma fruta que ainda pudesse estar boa para venda, segue em frente, um deles, no entanto, triste pelo ocorrido volta e a ajuda a levantar a banca e colocar todas as maçãs ainda boas no lugar. Quando termina o trabalho ele lhe dá uma quantia em dinheiro pra tentar reparar o prejuízo e despede-se dela na esperança de não ter perdido o voo, no que é surpreendido pela pergunta: - Você é Jesus? Assustado e surpreso com a indagação e sem resposta para dar a cega senhora apenas diz um até logo e segue rumo à sala de embarque.

Não basta saber que se é Imagem e Semelhança de Deus, é preciso vivenciar através dos nossos atos, para que as pessoas não mais nos enxerguem, mas vejam só a Ele. 

quarta-feira, 23 de maio de 2012

A gente também sofre, mas...


Dizem que os homens não sofrem por amor. Tudo balela, intriga da oposição e do sexo oposto. Nós sofremos sim, só que existe aquela coisa que meio que nasce com a gente e que é de um machismo exagerado que nos faz esconder geralmente o que sentimos. Você quase nunca vai ver um homem pedindo pra voltar pra namorada horas depois de terminar o namoro, comumente vai nos ver ligando pra “amiga” que está em stand-by pra curtir a nova atualização no status no Facebook, porém isso não quer dizer muita coisa. O sofrimento de um homem está lá, guardado a sete chaves, com dois cadeados grandes e quatro senhas de alta segurança, só sabe dele duas pessoas, o homem e Deus.

Filipe Guerra

Sobre signos, destino e amores



Naquele dia a Lua entrou em Aquário, o Sol passou em Gêmeos, Vênus era o planeta que regia as nossas casas astrológicas e como um incentivo da deusa romana de mesmo nome, o nosso amor brotou. Não sei se foi bem assim, talvez os 13 nós na fita de Santo Antônio tenha ajudado ou simplesmente foi mais um desses acasos do destino, o que sei de verdade é que você entrou na vida, como um furacão que destrói tudo e obriga as pessoas a reconstruírem suas vidas a partir do nada, você destruiu as grossas paredes de aço blindado como alguém que amassa uma latinha de cerveja para reciclá-la. Tive que me reconstruir e você me ajudou, colocando paredes novas, sonhos novos e o seu amor. Simplesmente aconteceu.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Relacionamentos e regras



“É verdade que os relacionamentos são muito mais complicados do que as regras, mas as regras nunca vão lhe dar as respostas para as questões profundas do coração. E nunca irão amar você.”


(Trecho extraído do Best-seller A cabana)

domingo, 13 de maio de 2012

Indecisão



Uma indecisão não faz bem a nenhum coração que já se entregou por inteiro, parafraseando uma canção que ouvi no rádio. Como se pode dizer não ao sentimento que brota na alma apenas porque a razão, as pessoas ou sabe o quê te dizem o contrário? É justo dizer não ao amor que sente latejando no peito e o trocar por palavras escritas num manual de relacionamentos? Agindo assim a gente fica parecendo ioiô nas mãos habilidosas de um adolescente, nos portando como tal quando deveríamos virar adultos e encarar a realidade e a vontade de sermos felizes juntos.
- Não vai dar certo!
- Vamos pelo menos tentar?
- E quando me faltar palavras diga apenas que me ama, você não sabe o bem que isso me faz. 

Um presente de mãe



De início a gente pensou em tantas coisas para te presentear. Flores, perfume, urso de pelúcia, roupas e mais uma gama de presentes, mas tudo isso é pequeno diante daquilo que nos deste. Deu-nos a vida sendo colaboradora dos planos de Deus pra nós, nos deu amor, nos educou, privou-se de inúmeras coisas para que nos vendo felizes alcançasse a sua felicidade. Não temos palavra para agradecer, mas há ainda muito que ofertar. Isso é só uma lembrança de alguns momentos que vivemos e a certeza de que ainda teremos outros tantos juntos.

De onde vêm os amores?


De onde vêm os amores, pergunto-me todos os dias. O grande amor que tive em minha vida, tirando meus pais, apareceu sem avisar e me pegou desprevenida, como um assaltante em uma rua movimentada. Ele queria roubar meu coração, mas eu, idiota que fui, o dei sem pedir nada em troca. Cuide dele, disse apenas. E ele o encheu de esperanças novas, outras bem velhas e gastas e mais algumas recicladas. E eu? Aceitei tudo, afinal precisava encher esse velho músculo em meu peito de coisas diferentes.
E num belo dia de sol, o astro rei não sorriu pra mim. Acabou, fim, the end. Esforçar-me pra entender eu tentei e fiquei nisso por horas, dias, meses, até que desisti. Como tanto amor assim pode virar apenas um “hello, como você tá?”. E do outro lado você querendo se fazer de forte e diz um “tá tudo ótimo e com você?”, quando na verdade você quer gritar e demonstrar a todos que não tá nada bem e que você ainda precisa ouvir a voz dele no celular, que sente falta dos “eu te amo”, que quer voltar e acordar desse sonho ruim. Mas por outro lado o mundo te diz pra ser forte, não demonstrar sentimentos, ser fria. Como? Nunca aprendi a transformar tanto em nada. De onde vêm os amores, pergunto-me todos os dias. Quem souber me avise, quero fechar esse comércio não lucrativo.

Júlia Siqueira

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Ontem e Hoje



Ontem tínhamos sonhos, hoje eles desmoronaram como um castelo de areia que é levado pela força das ondas. Ontem nos amávamos e o nosso amor era tão grande que não cabia em nós, hoje, porém, ele foi embora nas asas de um gavião que o levou para longe, em um lugar que não se pode enxergar. Ontem éramos um só, hoje somos dois novamente. Até quando? Não sei!

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Persistência


Não vou desistir de nós, essa é a máxima. Vejo em seus olhos o quanto amadureceu neste tempo em que a morte nos separou. Somos almas gêmeas, nunca esqueça, cunhadas de um mesmo sentimento, dividida em duas pessoas, mas com uma mesma identidade, um mesmo amor. Não adianta você fingir que não lembra, em algum lugar do seu coração em meio à poeira do tempo perdido está tudo o que já vivemos, intacto, pronto pra ser usado novamente por ti. Temos muito que aprender e reaprender, mas eu não desistirei, Deus sabe que nós somos dignos de viver tudo isso novamente. 

Estrela


Quero viver nas estrelas bem ali perto de uma das muitas casas de Deus. Brilhar, encantar, viver.

Um ano...


Um ano se passou. A ideia inicial de se montar um blog para compartilhar pensamentos surgiu ali e desde então ganhou forma, corpo e adeptos como uma criança que é gerada e parida e depois tem vários tios babões ao seu redor. Um ano em que falamos de amores, tristezas, partidas, dores, alegrias, morte e mais uma infinidade de coisas. Agora meu filho tem que aprender a andar por lugares diferentes, conhecer pessoas novas e por isso peço ajuda daqueles que fielmente tiram um tempo para visitá-lo. Posso contar com vocês?

domingo, 6 de maio de 2012

Vem


Vem! Chega logo, que o seu lado da cama já está aquecido por meu corpo e perfumado com o cheiro da minha pele.
Não demora! O amor que é seu ainda está aqui, o sorriso, que tem como motivo você, ainda está na minha face e a alegria de te ver novamente ainda está em meu peito.
Corra! Se apresse! Deixe tudo o que tem pra fazer, nada é mais importante que o nosso amor, e nós sabemos disso. Te aguardo viu?

terça-feira, 1 de maio de 2012

A fábula das cores


No planeta Amarelo tudo corria bem. O topo das árvores amarelas cintilava com a luz do sol, os pássaros amarelos cantavam e voavam de um lugar para o outro, a paz caía sobre aquele lugar monocromático. As pessoas também eram assim, amarelas por dentro e por fora. Até que um dia, tudo mudou. No calendário marcava dia 02, dia em que uma só criança transformou o destino das pessoas de seu planeta. O fato: ELE NASCEU AZUL. Os médicos queriam que a mãe o matasse após o parto, alegando que ele era uma anomalia e temendo que ele não vingasse, mas ela foi totalmente contra dizendo que se Deus o fez assim, Ele tinha um propósito. E ela tinha razão.
O menino cresceu, por anos, camuflado. Todos os dias seus pais o pintavam de tinta amarela para que pudesse ir pra escola, brincar e fazer as atividades rotineiras. E ele aceitou resignado até o dia em que resolveu assumir a sua cor. Minha alma é azul, minha cor é azul, não posso viver escondendo minha identidade apenas porque as pessoas se chocariam com isso, - dizia ele. E resolveu assumir o seu eu.
Durante os dois primeiros meses os noticiários do planeta Amarelo espalhavam de maneira preconceituosa a revolta do garoto azul. Mas a sua força deu chances para que as pessoas tirassem o disfarce amarelo para que pudesse surgir naquele lugar pessoas de todas as cores. Anos depois, os vermelhos se casavam com os outros azuis e tinham filhos roxos. E aquele lugar até então monocromático nunca mais foi o mesmo. A paz agora se estendia como uma bandeira colorida e todos eram muito felizes.
E então a mãe do garoto azul soube que pra ser realmente feliz a gente não precisa se esconder dentro certos de parâmetros sociais e agradecida e com uma cumplicidade ímpar olhou para o céu e sorrindo falou com Deus: - Agora entendi o seu propósito.